Bloquinho: rascunhos e poesias

IMG_20131210_164544

Os bloquinhos, eles me encantam! São retalhos, são relatos. Chegam a nossas mãos imaculados e o tempo, – a vida -, se encarrega de ir preenchendo suas páginas brancas. Ora recheado com lembranças e traços doces, outras tantas vezes com rabiscos e consternações.

A companhia do bloquinho me dá liberdade para rabiscar e me fez compreender mais facilmente que os rascunhos fazem parte da vida, que não estamos tentando jogar com cartas marcadas, que ganhamos e que perdemos, mas que, sobretudo, existe uma luta viva, um duelo interior, que teima em confiar num amanhecer deslumbrante.

A partir de agora vocês verão meu bloquinho com bastante frequência aqui.

Anúncios

Resenha: Legend (Marie Lu)

LegendNo ano 2130 o que era o oeste dos Estados Unidos se transformou na República, uma nação militarizada em constante guerra com seus vizinhos, as Colônias.

Na República o futuro de todas as crianças é decidido aos dez anos de idade. Elas são submetidas a uma prova que testa as aptidões intelectuais e físicas. Os jovens mais inteligentes são recrutados pelo governo para servir a pátria e os que não conseguem passar na prova são enviados para os campos de trabalho.

June é um prodígio, a única pessoa da história da República que conseguiu alcançar a pontuação máxima na prova de aptidões. Day foi reprovado e se transformou no criminoso juvenil mais procurado do país. Ele é uma lenda. Tão esperto e ágil quanto um delinquente poderia ser.

Mas Day e as Colônias não são a única preocupação da República. Ela ainda precisa tomar cuidado com os rebeldes Patriotas e com a Praga, uma doença mortal que se alastra pelos setores mais pobres da nação.

As histórias de June e Day se encontram quando o irmão da garota, um capitão da República, é assassinado. June, determinada a vingar a morte do irmão, vai a procura do homicida, que possivelmente é Day.

Além dos protagonistas somos apresentados aos personagens Metias, irmão da June; Tess, uma garota esperta que está sempre ao lado de Day; o soldado Thomas, um amigo e subordinado de Metias; e a Comandante Jameson, cruel e calculista. Outros personagens aparecem brevemente neste primeiro volume, como é o caso de Chian, Primeiro Eleitor (líder da República), Anden (filho do primeiro Eleitor) e Kaede, uma lutadora de Skiz – uma luta proibida apreciada especialmente nos setores marginalizados.

Existem algumas cenas de romance no livro, mas o foco principal está na ação, no perigo de viver nas ruas, nas mentiras, no abuso de poder e a manipulação ideológica do governo.

O livro é curto, dá para terminar em um ou dois dias. Por ser um livro pequeno, senti falta de mais detalhes. Acho que as 256 páginas de Legend foram insuficientes para dar a dimensão da história ao leitor. A autora poderia ter explorado mais os pontos opressores de um governo militar totalitarista, além das mudanças sociais do período.

A narrativa é bem simples e fluída e os capítulos se alternam entre a visão de June e Day. Isso foi bom por que nós temos um panorama estendido da história.  A diagramação é um dos pontos fortes. As páginas são amarelas, – que facilitam a leitura-, e têm as bordas escurecidas, dando a impressão de que o livro foi chamuscado. A editora está de parabéns.

Eu quero muito saber como termina essa história. O segundo livro da série foi publicado, no ano passado, nos Estados Unidos com o título Prodigy e estava previsto para ser lançado no Brasil ainda no primeiro semestre de 2013.

Livros que reli

Às vezes a gente termina de ler um livro e fica com vontade de voltar algumas páginas só pra sentir a sensação de redescobrir a história, como quando leu pela primeira vez, ou prestar mais atenção aos  detalhes que  passam despercebidos na leitura apressada.

É sempre bom retornar a antigas e queridas histórias. Além disso, reler livros é terapêutico, pelo menos é o que diz um estudo da American University (EUA), publicada no Journal of Consumer Research. Após entrevistar algumas pessoas, os pesquisadores entenderam que ler um livro ou assistir a um filme mais de uma vez não está relacionado ao vício, e sim ao “re-consumo”, onde o sujeito procura por mais significados, que podem ser de grande valor emocional. E realmente temos maiores chances de voltar a um livro quando a primeira leitura foi prazerosa.

Atualmente minha estante está cheia de livros que eu comprei e ainda não li, mas quando eu não tenho nada novo na prateleira gosto de voltar aos antigos livros. Pensando nisso, listei aqui o top 3 dos livros que reli e recomendo.

Dom Casmurro (Machado de Assis)

1343755831_421733299_1-Fotos-de--LIVRO-Dom-Casmurro-Machado-de-AssisLido pela primeira vez em: 2006. Era um dos livros obrigatórios da grade curricular.

Quando reli: em 2009

Porque reli: Por que senti que esse livro foi extremamente prejudicado pela obrigação de ler na escola. Precisei ler Machado de Assis para fazer uma prova, e não gostei nada da história. Mais tarde, mais amadurecida, voltei ao livro, e desta vez consegui captar todos os detalhes e estima da obra, e só então entendi por que Machado de Assis é um autor brilhante.

Por suas chagas (Neil Velez)

por_suas_chagasLido pela primeira vez em: 2009, uma amiga trouxe do nordeste e me emprestou

Quando reli: em 2012

Por que reli: Esse livro merece uma resenha, espero me lembrar disso depois. Ele está classificado como religioso, mas não é menos respeitável por isso. Por Suas Chagas marcou um momento muito especial da minha vida espiritual. Cada capítulo desse livro corresponde a uma história testemunhada por Neil Velez, missionário católico americano, e cada uma delas me impactou de uma forma distinta. Eu reli esse livro várias vezes. Na verdade, sempre voltava as histórias, refletia os testemunhos e me sentia impulsionada a rezar junto com o autor e as personagens. Por Suas Chagas é mais que um livro, para os teístas, pode ser uma experiência concreta do poder de Deus. Eu recomendo muito.

Harry Potter e a Pedra Filosofal (J.K. Rowling)

Harry-Potter-e-a-Pedra-Filosofal-livroLido pela primeira vez em: 2001

Quando reli: Não lembro, por que foram várias vezes.

Porque reli: Por que é Harry Potter gente! Já li cada livro pelo menos duas vezes e ainda hoje tenho vontade de ler novamente. Eu, assim como muitas pessoas que cresceram com HP, tenho uma relação sentimental com a saga. A J.K. não criou uma história, ela inventou um universo. Um mundo incrível que, quando transpassado, não dá mais sair.

Reler esses livros me faz voltar à infância e relembrar a espera angustiante por cada novo livro. Harry Potter foi especial e acho que eu nunca vou me cansar de voltar a essa história, afinal “Hogwarts sempre existirá para aqueles que precisarem dela”.

Livros que ainda quero reler

O que li nos primeiros três meses do ano

Meta de leitura é uma das coisas da minha vida que nunca consigo cumprir, mas vamos à lista do que li em janeiro/fevereiro/março

Qual seu numero? (Karyn Bosnak)

QUAL_SEU_NUMERO_1317308396P

Delilah tem 30 anos e fica paranóica depois de ler uma reportagem que diz que a media de parceiros sexuais de uma mulher ao longo da vida é de 10,5. Só que ela já quase dobrou essa estatística, ao se relacionar com 19 caras. Desesperada, promete a si mesma que vai encontrar o seu 20º parceiro e que ele será o ultimo dito-cujo de sua vida. Delilah acredita que assim irá ser redimida, de alguma forma, por ter ultrapassado a “media natural” de rapazes que uma mulher deve ter.

Essa saga em busca da redenção de Dalilah e da busca pelo 20º e ultimo sujeito é hilária. Ela conta como conheceu os antigos namorados e descreve o reencontro com cada um deles. O final é previsível, mas encantador. Delilah é uma doida haha, determinada e muito humana.

Eu recomendo pra quem quer relaxar e dar umas boas risadas

Editora: Novo Conceito

Paginas: 352

Um Dia (David Nicholls)

Um Dia

Esse livro conta uma historia de amor que nasceu da amizade, e o contrario também.  A historia de Dexter e Emma começa em 15 de julho de 1988, e cada capitulo corresponde a um 15 de julho… Durante 20 anos.

Num lapso temporal tão longo a vida dos personagens dá verdadeiras reviravoltas. No entanto, Emma e Dexter estão na mesma estrada, só que em extremos. Dex encontra atalhos, Em descobre desvios.

É uma historia lenta, mas intensa.  Um final bonito, mas que não parece muito com a felicidade.

Super indico! Eu chorei muito com Um Dia! (rs)

É dramático na medida certa, intrigante, envolvente e engraçado. Eu também amei as descrições dos cenários. Até as pedras das calçadas de Paris e Londres são encantadoras na versão descrita por David Nicholls.

Editora: Intrínseca

Paginas: 416

Encontro às cegas (Carolina Aguirre)

Encontro às cegas - Carolina Aguirre

Esse é um chick-lit clássico. Lucia é uma balzaquiana, um pouquinho acima do peso, que ganha mal e está solteira. Leva uma vida sem graça e tem uma mãe louca pra casá-la com algum bom partido. A Irma mais nova – magra e linda é importante ressaltar- está prestes a subir o altar e, a apenas 277 dias do casamento, Lucia se sente pressionada a conseguir um namorado que corresponda a todas as expectativas dela e da família.

A historia é muito engraçada e sem um “príncipe encantado” no final, o que eu achei muito bom.

Editora: Benvirá

Paginas: 320

A Batalha do Apocalipse (Eduardo Spohr)

A Batalha do Apocalipse - Fantasia BR

Já fiz uma resenha sobre esse livro e realmente achei ele incrível. A humanização dos personagens, que tem natureza fantástica, foi um dos pontos mais positivos pra mim. A Batalha do Apocalipse narra o sétimo dia da criação e o embate final entre os arcanjos.

Gostei muito também de como o autor fez a passagem temporal dos séculos e a mistura de culturas distintas. Além disso, Eduardo Spohr é brasileiro *–*

Também recomendo!

Editora: Verus

Paginas: 586

Morte Súbita (J. K. Rowling)

capa-de-morte-subita-traducao-do-livro-de-jk-rowling-em-sua-versao-em-portugues-1354054789526_300x420

Esse eu ganhei em um amigo oculto no fim do ano. Morte Súbita conta a historia dos moradores de um vilarejo chamado Pagford. Aviso que para ler esse livro é necessário se despir de tudo o que você já leu da J.K.. Morte Súbita passa longe das aventuras infanto-juvenis de Harry Potter, sem seres fantásticos, magia e aventuras… Ao contrario, é um livro muito realista. Fala de problemas familiares, intrigas, sexo e drogas. É uma historia pra adultos. Densa e que pode ser interpretada como chata, caso não tenha o amadurecimento exigido, ou se estiver esperando mais ação no enredo.

O mais interessante de Morte Súbita é o que esta nas entrelinhas, por isso digo que é preciso maturidade pra alcançar a essência do livro. Os personagens são tão odiáveis quanto cativantes, e o destaque vai para Krystal.

Por mais que eu tivesse tentado ser isenta ao ler o livro, em algumas páginas, onde tinha sexo, estupros e muitos, muitos, palavrões eu me pegava pensando “é realmente a Rowling quem esta escrevendo isso?”

Se você tem certa maturidade e paciência eu recomendo.

Editora: Nova Fronteira

Paginas: 512

A Guerra dos Tronos (G. R. R. Martin)

capa_a guerra dos tronos_01.indd

Deus do céu! Nem sei o que escrever sobre essa série. É uma das mais intrigantes que já li. Esse primeiro livro de “As crônicas de gelo e fogo” conta a historia de um continente chamado Westeros, dividido em 7 reinos, cada um controlado por uma família. A família principal de A Guerra dos Tronos é a Stark de Winterfell, responsável por proteger o norte de Westeros.

Tudo corria bem e em paz no reino até o protetor do Norte, Ned Stark, ser convocado pelo rei Robert para ser a “Mao do Rei”, que é simplesmente a pessoa/cargo mais importante, depois do próprio rei. Ned vai então ocupar o lugar que era de Jon Arryn, seu antecessor no cargo e assassinado misteriosamente em Porto Real, capital de Westeros.

A partir de então o reino vira uma confusão de burburinhos, intrigas e jogo de poder.

Eu gostei muito de A Guerra dos Tronos. Primeiro por ser uma historia com ares medieval, que eu amo. Depois, por ser uma fantasia, meu gênero favorito.

O que posso dizer sobre Martin? Ora,  é um escritor genial. O modo como dispõe a historia é muito bom. Cada capitulo corresponde a um personagem, então a narração tem pontos de vista diferentes, o que é chamado de PdV.

Livro ótimo! Não dá pra largar!

Editora: Leya

Paginas: 592

A Fúria dos Reis (G. R. R. Martin)

Livro-2-A-Fúria-dos-Reis

O segundo livro da série As crônicas de Gelo e Fogo é muito bom também. No primeiro volume, a base da historia se encontra na manutenção do poder da casa Baratheon e do Rei Robert pedindo “ajuda” a Ned Stark para fazer algo que ele desconhecia completamente: governar, e os personagens principais são a família Stark. Em A Fúria dos Reis os nortenhos continuam detendo grande parte da historia, mas o espaço dos Lannisters é ampliado com a visão do anão Tyrion; além dos capítulos de Stannis, da casa Baratheon e Daenerys Targaryen, exilada do outro lado do mar de Westeros.

Esse livro é muito bom! Uma continuação excelente! Excitante e nada previsível.

Recomendo muito!

Editora: Leya

Paginas: 656

Eu estou bem aquém da minha meta de leitura, mas estou me esforçando para cumpri-la rs.

O que estou lendo agora?

*A Tormenta de Espadas (As Crônicas de Gelo e Fogo – Livro 3)

*As Vantagens de ser Invisível

*Guardião de Memórias.

Coleção de Frases: Jogos Vorazes

Jogos Vorazes é uma das minhas paixões recentes. “Comi” os três livros em pouquíssimos dias. Aproveitei a vibe de uma amiga, que está terminando de ler a trilogia, e resolvemos fazer uma coleção de frases com nossas citações favoritas.

 9788581630045

“Peeta me coloca na cama e me dá boa noite, mas pego a sua mão e não o deixo sair, não quero que ele vá embora. Na realidade, quero que ele se deite na cama comigo, que esteja ao meu lado quando os pesadelos chegarem”

“As fagulhas se acendem, as chamas se espalham e a capital quer vingança”

“Meus pesadelos normalmente têm a ver com você. Eu fico legal logo que percebo que você está aqui.”

”Você é toda a minha vida – diz ele – Eu nunca mais seria feliz. – Começo a me opor, mas ele coloca um dedo nos meus lábios. Para você a coisa é diferente. Não estou dizendo que não seria difícil. Mas existem outras pessoas que fazem com que a sua vida vale a pena ser vivida”

”Beijei Peeta umas mil vezes durante aqueles jogos e depois. Mas houve apenas um beijo que fez com que eu sentisse algo se agitando bem dentro de mim”

“Porque você não vai dormir um pouco?” – Diz ele. – “Porque eu não sei como lidar com os pesadelos” – Não sem você, penso.

Jogos_Vorazes_Katniss_Everdeen

“Que a sorte esteja a seu favor”

Matar ou morrer. Não há escolha. Na arena, o mais capaz vence. Os Jogos Vorazes continuam!

“Meu pai cantava, todos os pássaros na área caiam no silêncio e escutavam. Sua voz era tão bonita, alta e clara e tão cheia de vida que fazia você querer rir e chorar ao mesmo tempo.”

“- Ela não faz ideia. Do efeito que ela pode ter.”

“Mas ele se tornou muito mais do que um companheiro de caçada. Ele se tornou meu confidente, alguém com quem eu podia dividir os pensamentos que eu nunca podia dar voz dentro do muro. Em troca, ele confiou em mim. Quando estava fora na floresta com Gale… às vezes eu era feliz de verdade.”

Jogos-Vorazes-03Jan2012_03

“ – Ela tem outro cara – Pergunta Caesar.

– Eu não sei, mas muitos outros garotos gostam dela – diz Peeta.

– Então, faça o seguinte. Ganhe, volte para casa. Ela não pode te recusar então, hein? – diz

Caesar encorajadoramente.

– Eu não acho que vai funcionar. Ganhar… não vai ajudar no meu caso – diz Peeta.

– Por que não? – diz Caesar, perplexo.

Peeta cora um tom de beterraba e gagueja.

-Por que… Por que… Ela veio aqui comigo.”

“E enquanto estou conversando, a ideia de perder Peeta de verdade me atinge novamente e percebo o quanto não quero que ele morra. E não é sobre os patrocinadores. E não é sobre o que vai acontecer em casa. E não é só porque eu não queira ficar sozinha. É ele. Eu não quero perder o garoto com o pão.”

“Então naquele dia, na assembleia musical, a professora perguntou quem sabia a canção do  vale. Sua mão subiu logo no ar. Ela te levantou no banco e você cantou para nós. E juro, todos os pássaros do lado de fora da janela ficaram em silêncio.”

Katniss-na-arena-1024x836

“Pego sua mão, segurando com firmeza, preparando-me para as câmeras e abominando o momento que finalmente terei de soltá-la.”

“Quando você estiver na arena, lembre-se de quem é seu verdadeiro inimigo.”

“Seguro a pérola na palma da minha mão e examino sua superfície iridescente à luz do sol. Sim, vou ficar com ela. Pelas poucas horas que me restam de vida, vou ficar com ela bem guardada em mim. Este último presente de Peeta. O único que realmente posso aceitar. Talvez ela me dê força nos momentos finais.”

tumblr_m1dgmrcILq1rnv2e0o1_500

“De que outra forma eu poderia me orientar neste mar de cinzas?”

“Eu sei que ele estava desesperado. Isso faz as pessoas fazerem coisas loucas.”

Um Minuto: Um livro de trás para frente

Interessantíssimo!

Vi enquanto passeava na blogosfera

🙂
por: Livros e afins

A amiga Elsie Herber presenteou-me com o livro Um Minuto, de seu amigo Newton Cesar. Ele tem características que o tornam único.

Ainda não o li, mas posso dizer que ele possui algumas peculiaridades que, juntas, nenhum outro livro no mundo possui.

Pra começo de história, você começa a ler o livro a partir do que seria a contracapa.

Até aí, tudo bem. Quem já leu mangás já passou pela experiência.

Mas, não bastasse isso, você lê as linhas de baixo para cima.

Sim, o livro é inteiro ao contrário.

E, para completar, ao chegar àquilo que seria o final (próximo do que seria a capa), você passa a ler no sentido normal, mas apenas as linhas em negrito.

Sinopse:

São 60 capítulos, 60 segundos. Vicente, aos 70 anos, se vê diante de acontecimentos inimagináveis: a cura do Alzheimer, o tempo desordenado, o tempo voltando, trazendo cenários, pessoas, fatos, sentimentos, o tempo passando, um segundo, dois, um minuto e tudo pode acontecer. Ou tudo já aconteceu. Rejuvenescendo a cada dia, a cada segundo, procurando a mulher que ele não sabe se realmente existe, só sabe que ama. E quando você chegar ao fim da história, ou seja, na primeira página do livro, uma nova experiência começa: a leitura das palavras e frases grifadas, lidas da maneira tradicional, desvendando a história por um novo olhar ou outra história em outro tempo. É outro minuto.